Dia Mundial do Matrimónio

História


O Dia Mundial do Matrimónio foi criado para homenagear marido e mulher como alicerces da família, a unidade básica da sociedade, com o apoio de sacerdotes e religiosas, saudando a beleza da fidelidade, do sacrifício e da alegria na vida conjugal do dia a dia.

A ideia de celebrar o matrimónio começou nos EUA, em 1981, quando um grupo de casais encorajou os responsáveis civis e eclesiais de Baton Rouge, Louisiana, a proclamarem o Dia dos Namorados como "Acreditamos no Dia do Matrimónio". O evento teve tanto sucesso que o conceito foi apresentado e adoptado pela Equipa Coordenadora Nacional norte-americana do Encontro Matrimonial (EM). Em 1982, 43 Governadores proclamaram oficialmente o dia e as celebrações espalharam-se pelas bases militares dos EUA em vários países estrangeiros. Em 1983, o nome foi alterado para "Dia Mundial do Matrimónio", para ser comemorado todos os anos no segundo domingo de Fevereiro.

Dia Mundial do Matrimónio em Portugal


O dia foi celebrado pela primeira vez no nosso país pelo movimento Encontro Matrimonial, em 2019, no Parque das Nações, em Lisboa.

Trata-se de um momento único na vida do movimento, onde casais, sacerdotes e religiosas afirmam abertamente o seu compromisso de amor, desafiando, na praça pública, outros casais, sacerdotes e religiosas a comungarem a alegria de viver o diálogo, a ternura e a oração.

 

É simultaneamente um momento de renovação dos votos de matrimónio e da comunicação da mensagem de amor do Pai por nós, no sentido de permitir que as pessoas descubram que são amadas, aceites, compreendidas, escutadas, que estão em segurança, que são objeto de afecto e que são importantes, através da experiência de serem válidas, respeitadas, dignas de confiança e confiantes em si mesmas, acreditando nos seus próprios valores.

Trata-se de uma oportunidade de o Encontro Matrimonial revelar à sociedade portuguesa os seus carismas, desafiando-a a tomar consciência da importância do amor e dos sentimentos nas relações interpessoais, sobretudo numa altura em que as relações são cada vez mais fluidas.

Decido amar, sou feliz


Para comemorar o Dia Mundial do Matrimónio 2020, o Encontro Matrimonial viajou até ao Porto, onde casais, sacerdotes e religiosas puderam testemunhar, perante os transeuntes do belíssimo parque da cidade, a aliança de amor que os une.

O movimento conseguiu reunir mais de 60 pessoas que dedicaram o dia 9 de Fevereiro à proclamação do amor em família e nem mesmo a chuva e o frio os demoveu de prosseguir com a celebração.

Neste dia especial, a primeira etapa foi recordar, através da Eucaristia, que Deus, em Jesus, está sempre connosco, apoiando-nos em todos os nossos esforços para viver o amor que Ele nos chama a darmos um ao outro. O padre Lino da Silva Maia, na Igreja Paroquial de Aldoar, acolheu o grupo na sua comunidade e salientou o papel do EM na defesa dos valores do matrimónio, agradecendo aos casais, sacerdotes e religiosas o testemunho do seu amor e compromisso com os ideais da família.

 

Sob a inspiração Decido amar, sou feliz, os participantes deram início a uma caminhada de cerca de 5 quilómetros, em comunhão com o espírito e harmonia da natureza. Foi um momento para lembrar que o matrimónio não é vivido na ideia, mas na realidade. Como escreveu o Papa Francisco em Amoris Laetitia, a alegria conjugal é uma mistura inevitável de prazer e lutas, tensões e repouso, dor e alívio, satisfações e anseios, aborrecimentos e prazeres, mas em que os casais se apoiam mutuamente, nos bons e nos maus momentos. O casamento, visto desta maneira, é o fundamento da família, da sociedade e da Igreja.

A partir de um trabalho magistral elaborado pela comunidade da Região de Lisboa, os caminhantes partilharam uma oferta com as pessoas com quem se cruzaram, simbolizada numa gerbera artesanal, testemunha do verdadeiro significado do amor conjugal, relembrando a cada um e às famílias, que a vida significa mais que o Eu, requer sobretudo o Nós.

 

Após a caminhada pelo parque, as comemorações encerraram com uma representação especial, a partir de uma encenação criada pelos casais da zona de Évora, inspirada nas flash mob e que traduzem a alegria do encontro em comunidade, a beleza na relação entre os corpos e a confiança do amor em casal, testemunhando a glória e a intimidade com o Pai.

Que Deus abençoe todos os casais, sacerdotes e religiosas, particularmente a comunidade da Região Norte pelo acolhimento, pela amizade (e bom humor), pelo entusiasmo e carinho na organização deste Dia Mundial do Matrimónio 2020.

Partilhe este conteúdo: